quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Ovo perdido na madrugada

Diante de dois e-mails que recebi ontem de uma mesma pessoa e do carnaval que se aproxima, resolvi fazer esta postagem mais descontraída, que é a cara do Brasil.
A primeira mensagem dava conta de "nova técnica usada por ladrões" - jogar ovos nos parabrisas dos carros. Se um desses ovos acertar no alvo (parabrisa) a reação imediata do motorista é acionar os limpadores de parabrisa... ai é onde mora o perigo! A água do esguicho ao se misturar com o ovo criará uma espécie de pasta de aspecto leitoso, que será espallada pelas borrachas dos limpadores, obstruindo quase que totalmente a visão do motorista o que o levará a parar o veículo... pronto, ali ocorrerá o assalto!  

Este alerta me trouxe uma preocupação a parte, uma dúvida que deixo para os juristas resolverem. Sendo o ovo utilizado como instrumento do crime e sendo um produto que tem uma origem certa: as galinhas (pelo menos no primeiro momento - porque pode ser de outra ave qualquer). Podem elas serem indiciadas e condenadas por crime culposo? 
Com a realização de uma perícia técnica é possível localizar a galinha, autora do ovo, fazendo o DNA das partículas encontradas no veículo e confrontando com o DNA das galinhas cadastradas nos galinheiros.

Entretanto, pode ser que aquele ovo seja de pata (pato não põe ovo) ou de gansa (ganso não põe ovo) ou de outro galináceo qualquer (das fêmeas, pois os machos não põem ovo). E aí, não estamos correndo o risco de julgarmos injustamente a pobre da galinha? Essa é de fato a constatação de que todos os dias podemos estar diante da necessidade de criar mecaninsmos para suprir essa nova necessidade! Desculpe-me pelo trocadilho.
Se não existe ainda um cadastro nacional de galináceos, creio que é chegada a hora das autoridades estabelecerem a sua obrigatoriedade. Com o avanço da tecnologia em pouco tempo será possível cadastrar aquelas que estão confinadas nas granjas (suspeitas?) e conclamar a população para levar o seu pintinho de estimação para ser fotografado, receber um número de identificação, rotulado para depois ser liberado.

Pensar num Dia Nacional do Cadastro dos Galináceos... Nesse dia quem não tem pintinho nem precisará sair de casa. Porém, se sair... cuidado com o ovo que pode cair na sua cabeça! Já pensou, ser vítima de um ovo perdido? Fique com Deus.

PS.: Deixarei a segunda mensagem para comentar na próxima postagem. Assim você ficará curioso e será mais um seguidor desse blog. A meta é ter que fazer um cadastro nacional de seguidores...

2 comentários:

Anônimo disse...

É sempre muito importante que mensagens como estas sejam transmitidas a outras pessoas. E vc fez isso com louvor, rsrsrs. Aaaaadoooorei, como tu és criativo heinnn.Muito legal!! É isso aí, vamos repassando as informações para que ninguém caia nas armadilhas dos bandidos. Até mais...Um abraço.

jorge henriques disse...

Caro Edson ,agradecido pela informaçâo pois as tecnicas da ladroagem espalham-se rápidamente e nâo me admira nada que essa tecnica nâo comece a ser utilizada por este lado do atlantico.
Sobre o post galinaceo, estou em crer que mesmo que houvesse um cadastro de todas as aves , bastava que a dona galinha contratá-se um bom advogado para que conseguisse provar em tribunal que era tambem vitima de roubo de vários dos seus descendentes em forma de ovo e nâo cooautora de semelhantes actos de delinquencia...
Bom fim de semana e já agora bom carnaval ..
Cordialmente
jorge