sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Pelo mundo


Observe no mapa onde estamos chegando!!!
 Quem observar verá que hoje o contador do blog registra o primeiro ano registrando o número de visitantes que por aqui passam. Pois bem,ao término desta noite, estaremos certamente atingindo a marca dos vinte mil visitantes!!! O que representa uma média diária de 55 pessoas por dia! Uma marca que merece agradecimentos a todos que estão lendo este diário. Ressalto que estamos no segundo ano de existência, portanto, num cálculo simples, posso estimar que mais de trinta mil pessoas leram alguma das minhas postagens. O blog nasceu no dia 18 de novembro de 2008. Passou um ano sem marcador de visitas.

Hoje dedico esta postagem a ele, ao blog, para falar a vocês que fazem parte dele. Fazendo isso, estou dedicando a cada de vocês, meus amigos leitores. Se não tem leitor incentivando, não tem motivo para continuar escrevendo. Descobri hoje, fuçando as configurações, a função Estatística que dá a real dimensão do que estamos realizando. Como, por exemplo, onde estamos chegando, qual o assunto mais buscado e outras informações. Aproveito este momento especial, inicio da semana de aniversário do blog para fazer os meus agradecimentos em alguns idiomas (ainda bem que não preciso falar), locais onde temos leitores, segundo os dados do blogger.

Arigato! Thank you! Aciü! Danke! Quem sabe, sabe! Agradeci em japonês, inglês, lituano e em alemão, dizendo no bom português: Obrigado! É isso, temos leitores em Portugal, Estados Unidos, Alemanha, Canadá, Japão, Angola, Rússia, Coréia do Sul e Letônia! Eu sabia do meu amigo Jorge, lisboense (é isso mesmo?), nunca imaginei que estivesse em outros mais. O mundo estar mesmo globalizado, de qualquer parte do planeta podemos acessar conteúdos que estão sendo produzidos aqui e vice-versa. 

Como sempre faço quando vejo que ganhei mais um seguidor, essa constatação de hoje, que estou socializando aqui, me encheu de orgulho e de alegria. Acho que é a mesma sensação que sente um escritor, após lançar o livro, ver a necessidade de encomendar a sua editora uma segunda tiragem. Também é maior a responsabilidade, afinal, como numa novela, estamos construindo uma história capítulo por capítulo. A diferença que aqui é real, apesar de não ser um show, nada a ver com os reality show televisivos. Então, nesta semana estarei festejando o segundo aniversário desses nossos encontros, dessas conversas e desabafos. Quero repartir o bolo com todos, acender mais velinhas (nada de apagar) - acho que em festas de aniversário deveríamos acender e não apagar velas! Bom, por enquanto é isso, renovar os agradecimentos e dizer que estou bem.

ENDOCRINOLOGISTA

Seguindo recomendação do oncologista fiz consulta médica com endocrinologista na tarde hoje. Fizemos a minha anamnese, sabe que acho interessante contar que não tenho estômago, vesícula, tireóide e que retirei metade do fígado?! Estarei doente? Claro que não penso que estou louco por achar isso interessante. Melhor voltar para a consulta de hoje, para dizer que ouvi do médico comentários que batem com o que eu dizia sobre a retirada da tireóide. Segundo ele, nem sempre necessitamos fazer a retirada do nódulo da tireóide, por ser um carcinoma menos agressivo que se conhece. Claro que esse pensamento dele e meu não representa nenhuma verdade médica, não defendo aqui que caso alguém esteja em situação de investigação desista de fazer a cirurgia. Escute uma segunda, terceira opinião médica, para chegar a uma conclusão. Confesso que se hoje fosse julho, quando fiz todas as consultas e exames em cima do "problema tireóide", depois desta consulta eu não teria deixado a minha borboleta voar. Não cabe arrepedimento, isso não trará ela de volta. Não adianta chorar sobre a tireóide retirada! O que importa agora é garantir que haja a produção dos hormônios que necessitamos.

Tenho sentido uma fome insaviável, como muito, assalto a geladeira de hora em hora, a coitada se abre logo quando chego perto dela. E não engordo uma grama, pode isso? Esse fenômeno gastronômico se deu depois da tireoidectomia. Vamos consertar isso, se Deus quiser. Foi feita coleta de sangue para saber a dosagem dos hormônios que estão sendo produzidos com a ajuda do Puran, saberemos se a dosagem atual estar sendo suficiente ou não. Isso será motivo de mais conversa, entre eu e você meu amigo. Abraços.

3 comentários:

Lucia Lombardi disse...

Olá Edson. Fiquei feliz que voce entrou no meu blog. Parabens pelo aniversario do seu blog, com certeza voce tem ajudado a muitos, a mim tambem. Um beijo no seu coração e fique com esse Deus maravilhoso que nos guarda e protege! Beijos.Lucia

Karina - Frei-Sein disse...

PARABÉNS... Por mais um ano de informação, companheirismo, instrução e apoio que TEU MARAVILHOSO BLOG nos oferece, Obrigada amigo por dividir tua vida, tua trajetória conosco!!
Vc sabe que eu não perdi minha borboleta, mas os incentivadores dela... rsrsrs... Quando retirei metade da minha hipofise perdi parte responsavel pela produção do hormonio TSH que estimula a tireóide na produção de T3 e T4, por isso faço essa reposição tbem... Agora meus médicos endocrinos estão desconfiando que também posso ter ficado esteril, pois a hipofise tbem é responsável pelos hormonios ovárianos como o LH e o FSH... Espero que isso não tenha acontecido!!!
Mas.. estamos na luta constante e vivendo intensamente némeu amigo... mesmo que nos falte alguns orgãos e hormonios... rsrs...
Beijos e mais uma vez meus PARABÉNS!!

Edson Leite disse...

Oi Lúcia, é um prazer ser seguidor do seu blog.
Karina, minha querida amiga, o que são os hormônios se não existissemos?! Se os órgãos querem fazer greve para atrapalhar a produção de T3, T4 e T não sei das quantas, recorremos aos artificiais que estão a alguns passsos, nas prateleiras das farmácias... e a vida continua!Minha amiga, quando Deus quer, tudo pode. Não fique preocupada com "possibilidades", conheço uma jovem mulher que passou por sérios problemas no útero, fez quimioterapia também... casou, hoje tem duas filhas!!! Duas gestações, quando pensavam que não seria possível nenhuma. Viver é participar, acreditando no amanhã. Beijos, do amigo