segunda-feira, 6 de junho de 2011

Rabo de lagartixa

Ainda bem que não é rabo de foguete! Lembrei desse membro da família dos Geconídeos por me encontrar novamente diante da iminência de ter que cortar mais um pedaço do meu fígado... e para que este volte a crescer pensei em começar a tomar chá de rabo de lagartixa! Estou pagando pelos inúmeros rabos que, com a minha pontaria certeira de menino moleque, arrebentei com a minha baladeira ou atiradeira ou, ainda, estilingue. Não importa como é chamada, mas essa arma nas mãos da meninada era fatal para as infelizes lagartixas que se arrastavam pelos muros salpicados ou pelos postes de iluminação do bairro. Às vezes o erro provocava apenas a ruptura de uma parte do raba da bichinha... Muitas vezes nós cruzavámos novamente os nossos caminhos, nós com a arma na mão e ela de rabo novo, balançando a cabeça como se estivesse zombando da gente.
A qualquer pergunta que era feita, ela sempre respondia afirmativamente com o balançar da cabeça. - Lembra de mim? Era a primeira pergunta. E não era que a danada balançava a cabeça afirmando que sim?! Sabe que sou mau? Novamente vinha a confirmação. Sem remorço algum a coitada passava a ser de novo o alvo da baladeira afoita. Se tivesse a sorte de encontrar um buraco nos tijolos, estava salva dos seus algozes, pelo menos adiava aquela conversa sem fim.
Como disse, isso ocorria nos tempos de menino moleque. Hoje, bem que eu gostaria de nunca ter arrancado o rabo de nenhuma delas. Felizmente não me traz trauma por reconhecer que tudo tem sentido e uma razão de ser. Aprendemos com esses episódios macabros o processo de regeneração único no reino animal.
O fígado não cresce, como parece quando dele se corta uma parte, na verdade ele se esparrama para ocupar o espaço que ficou vazio, dando a falsa impressão de crescimento.

Vamos deixar essa prosa de lado e falar sério agora. Depois de peregrinar pelo gastro, fazer a colonoscopia, endoscopia, exames de sangue e ultrassonografia do abdomem, retornei para o cirurgião atendendo recomendação do gastro para avaliar a possibilidade de retirar o nódulo que, segundo a ultrasson encontra-se, na ponta direita do fígado - local de fácil acesso para o bisturi.
Sai do consultório do cirurgião com a requisição para realizar duas tomografias, uma do tórax e outra do abdomem, para ver se se confirma a localização do tumor que, graças a Deus, parece ter estacionado. Sabemos da evolução rápida desse tipo de tumor quando não tratado. Claro que entreguei a Ele, nosso Pai Celestial, dar a resposta que o médico busca encontrar nesses exames. Se for da Sua vontade irmos para a quarta cirurgia, iremos confiantes!
O que mais me incomoda é ter que passar pela UTI ao término da cirurgia, mas se já passamos por três momentos diferentes por essa Unidade de Terapia, mais uma vez não será motivo para me desanimar. Aprendi que não devemos ter vergonha de nada nesta vida, principalmente quando se trata de uma coisa inevitável. Se temos que acordar com uma sonda na uretra, vestido numa fralda, tomar banho na cama e ficar dependente de gente estranha para tudo... que assim seja! O importante é saber que nada é eterno, que não ficarei ali pelo resto da vida e por mais demorado que possa parecer, terá um momento final. Um momento de reencontro com os familiares, com os amigos e com todos os seus pudores.
É a vida, do jeito que ela vem para cada um de nós e deve ser vivida com alegria e enfrentando todos os obstáculos. É o rabo da lagartixa!
Fiquem com Deus!

5 comentários:

Jú Carelli disse...

Edson...
Obrigada por postar notícias...
Como bem disse... entregue tudo nas mãos de Deus... Tenha a certeza que Ele fará o melhor...
Tudo já deu certo... ACREDITE!!!
Estou sempre na torcida...
Fique com Deus
Beijos iluminados

Massaki disse...

Sr.Edson,eu acho incrivel este humor que o Sr.consegue ter diante da batalha...eu acredito que este humor seja importantissimo,pois creio que seja uma batalha diaria.
Tenho a maior certeza de q o Sr.fortalece muitas pessoas com este jeito de ser.
Como o Sr.mesmo disse,se tiver que vir a quarta cirurgia...q venha.Estarei torcendo muito para que o Sr.vença a batalha,e que este dia esteja breve!
Grande abraço
Massaki

Sandra Ferreira disse...

Prezado Edson!
A primeira coisa que me veio quando li seu post foi a pena das lagartixas, acho umas gracinhas e ninguém gosta delas...

Depois eu gostaria que você soubesse o quão espirituoso que você é! Show!

Desejo que tudo dê certo em relação ao nódulo no seu fígado e que loguinho você esteja se sentindo melhor!

Abração.

Sandra

Cida Villela disse...

Edson,

Eu tenho dito que não somos mais nossos donos. Os médicos é que são, pois temos que fazer tudo que eles mandam. O melhor é não ficarmos ansiosos com as decisões que nos são impostas e enfrentar o que vier, não é?
O importante é não desistir nunca!
Grande abraço e saiba que a torcida é enorme para que tudo dê certo!
Cida

Edson Leite disse...

Olá Pessoal!
Nada nos pertence aqui nesta vida, nem ela própria... como tem dito a nossa amiga Cida com quem concordo plenamente. Tudo nos é emprestado, algumas coisas permanecem mais tempo conosco outras são efêmeras.
Que bom se todos acreditassem mais nessa premissa, talvez, existiriam menos doenças e menos agressividade. Um dia viveremos essa graça pelo reconhecimento da certeza de alguns.
Um bom final de semana para tod@s.

PS.: Amanhã realizarei mais duas tomografias, abdomen e toráx. Estamos investigando a possibilidade de nova intervenção cirúrgica. Vamos aguardar!